2

Isto não é uma duvida é um debate, sobre o acordo ortográfico, acho interessante discutir isto pois é uma polémica no estado do Acre (Brasil).

O caso:

Desde a época que o Acre deixou de ser parte da Bolívia (acredito 1903) e passou a ser território brasileiro o termo usado para se definir aos cidadãos deste estado é acreano, muitos prédios e locais públicos carregam o nome acreano em suas fachadas e talvez documentos de cartório ou algo assim.

Os habitantes naturais do Acre são agora denominados acrianos [1]. No singular o gentílico é acriano. Até a entrada em vigor do Acordo Ortográfico de 1990, a grafia correta era acreano no singular e no plural acreanos.

Em 2009, com o novo acordo ortográfico, a mudança do gentílico gerou polêmica entre a Academia Acriana de Letras e a Academia Brasileira de Letras, alegando que a mudança significaria a negação das raízes históricas e culturais do estado, mudando a última letra do topônimo de E para I. Embora ainda gere discussões sobre o assunto, é notório que a imensa maioria da população do estado não gostou e não adotou o "novo" gentílico, continuando a se autodenominarem acreanos [2].

Relacionado: Novo acordo ortográfico obrigatório em 2016 no Brasil

Nota: Convém saber que a terminação -eano só aparece em derivados de nomes próprios terminados em por exemplo:

  • Taubaté = taubateano

Ou terminados em ditongo, por exemplo:

  • Coreia = coreano; Galileu = galileano; Montevidéu = montevideano

http://www.portuguesnarede.com/2011/11/acreano-ou-acriano.html

O problema e argumento do povo deste estado (Acre) é que eles são acreanos há mais de 100 anos e como disse no começo várias "coisas importantes" para eles usam o termo acreano.

Somos uma comunidade de português, acho que poderíamos expressar nossas opiniões.

E você o que acha?

| |
  • 1
    Eu sou um bocado conservador no que toca à Língua portuguesa, e por isso acho que esse termo deve ser mantido. Não me incomoda tirarem consoantes mudas de palavras, mas incomoda-me um bocado alterar palavras assim, ainda para mais quando é um nome de uma região ou de um povo. – Jorge B. Feb 15 '16 at 10:43
  • @ANeves quanto erro de ortografia eu tenho hehehe, obrigado pela edição. – Guilherme Nascimento Feb 15 '16 at 17:14
  • És uma vítima da homofonia, Guilherme... na maior parte destes casos as palavras soam iguais antes e depois da correção, em pt-BR, mas diferentes em pt-PT. :) – ANeves thinks SE is evil Feb 15 '16 at 17:19
  • @ANeves sim é verdade, fico mais interessado em voltar a participar do site com tantos usuários que você com bastante conhecimento. Só edita o comentário, Guilerme (falta o H). – Guilherme Nascimento Feb 15 '16 at 17:22
  • (Ups! Obrigado, corrigi.) – ANeves thinks SE is evil Feb 15 '16 at 17:24
2

Percebo o argumento, mas não vejo grande problema com a mudança.

  • Ia-se à «pharmácia», agora à farmácia.
  • Conhecia-se um «Luiz», agora um Luís.
  • Era-se «actor», agora ator.
  • Era-se «acreano», agora acriano.

Percebo a resistência dos acreanos a essa mudança, mas não é por isso que eles vão perder identidade cultural.
Poder-se-ia pôr isto nestes termos: «pode-se tirar um acreano do Acre, mas não se pode tirar o Acre de um acreano».

Neste caso em concreto, eu acho mais útil a simplificação gramatical do que a tradição histórica. Mas também acho perfeitamente válida a opinião oposta.

| |

You must log in to answer this question.

Not the answer you're looking for? Browse other questions tagged .